sexta-feira, 26 de junho de 2020

Maranhão é o estado brasileiro com menor taxa de contaminação pelo coronavírus


Após 14 dias seguidos de queda na taxa de contaminação pelo novo coronavírus, o Maranhão pulou de 3º para o 1º lugar no ranking dos estados com menor taxa de transmissão da doença. Os dados atualizados foram reforçados em coletiva realizada pelo governador Flávio Dino nesta sexta-feira (26). Em uma semana, houve uma redução de 0.93 para 0.84, segundo o projeto Covid-19 Analytics, uma parceria da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

De acordo com o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, há quase quatro meses o Governo do Estado tem sido incansável na luta contra o coronavírus, o que inclui medidas sanitárias e decretos estaduais visando o enfrentamento da doença.

“Antes mesmo de termos o primeiro caso, já tínhamos decretado medidas e normas de conduta. Fizemos a contratação de novos profissionais, ampliamos a oferta de leitos exclusivos, inauguramos mais hospitais, realizamos campanhas de conscientização veiculadas pela imprensa local e redes sociais, decretamos lockdown e reforçamos a transparência de informações compartilhadas com a sociedade. É por causa desse empenho e dedicação que hoje podemos colher os bons frutos”, disse o gestor da saúde do estado.

Mesmo com o dado positivo, o secretário reforçou a importância das medidas preventivas. “Se chegamos a esse resultado, foi porque estamos tomando os cuidados necessários. Essa vigilância precisa continuar, pois o vírus ainda está entre nós. Precisamos manter as medidas preventivas necessárias como o uso de máscara e o distanciamento social”, completou Carlos Lula.

De acordo com o mapa divulgado pelo projeto Covid-19 Analytics, o Maranhão aparece em destaque, indicando taxa de 0.84. Em seguida vem o Ceará, com 0.94 de taxa de transmissão, queda que também vem sendo registrada há 10 dias.

Para medir a taxa de transmissão por estado, o projeto criou uma métrica chave que adota a sigla Rt. Ela calcula, a partir dos dados de casos e mortes divulgados diariamente pelas secretarias estaduais de saúde, levando em conta as projeções realizadas pelo modelo de previsão. Dessa maneira, quando o número estiver abaixo de 1, significa que a média de pessoas contaminadas por um infectado está abaixo de uma, o que indica uma redução no ritmo da epidemia. 

As unidades federativas com maior taxa de contágio e que registraram transmissão acima de 1.5 foram Paraná (1.65), Mato Grosso do Sul (1.56), Goiás (1.57) e Mato Grosso (1.72). Os estados com índice entre 1.5 e 1 são Pará (1.05), Piauí (1.49), Bahia (1.16), Espírito Santo (1.19), Rio de Janeiro (1.21), São Paulo (1.22), Minas Gerais (1.23), Rio Grande do Sul (1.4), Paraíba (1.03) e Alagoas (1.1).

Nenhum comentário:

Postar um comentário