quarta-feira, 24 de abril de 2019

PAÇO DO LUMIAR: Prefeitura chama professores excedentes de seletivo para substituir grevistas


A Prefeitura de Paço do Lumiar, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), começou a chamar esta semana os excedentes do seletivo simplificado para professor realizado em 2018. O objetivo é garantir a retomada das aulas nas turmas prejudicadas pela greve de parte dos professores municipais, que está completando 28 dias. A greve já foi declarada ilegal pela Justiça desde o dia 3 de abril, mas os professores insistiram em não cumprir a determinação judicial, prejudicando centenas de alunos, principalmente das classes finais do Ensino Fundamental. Com a chamada, a maioria das 20 escolas afetadas pela greve estão retomando as atividades esta semana.

“Diante da insistência dos professores em desrespeitarem a decisão judicial e prosseguir com a greve, decidimos chamar os excedentes do seletivo simplificado para professores realizado no ano passado para garantir a retomada das aulas. Desde segunda-feira, 22 de abril, já foram chamados cerca de 30 seletivados e prosseguiremos com a chamada até que todas as aulas sejam normalizadas”, explicou o secretário municipal de Educação, Paulo Roberto Barroso Soares.

Outra decisão tomada pela Prefeitura, com amparo do Ministério Público, foi dar falta aos professores grevistas que não atenderam à decisão da Justiça de voltar ao trabalho. “Após 30 dias de faltas, será aberto processo administrativo contra cada um, podendo culminar com a exoneração por justa causa a bem do interesse público”, informou o secretário de Educação de Paço do Lumiar.

Exonerações

O secretário acrescentou que foi realizado um levantamento e identificados mais de 100 professores de Paço do Lumiar com mais de uma matrícula e jornada de trabalho incompatível. Todos deverão ser exonerados, por determinação do Ministério Público e do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

O prefeito de Paço do Lumiar, Domingos Dutra (PCdoB), ressaltou que a greve dos professores de 40h a cada dia se confirma como um movimento político, pois todos os itens da pauta de reivindicações já haviam sido atendidos ou estavam em negociação.

“Por Lei, uma greve só pode ser iniciada se forem esgotados ou fechados todos os canais de negociação, o que não ocorreu em Paço do Lumiar, pois nos reunimos com o Sinproesemma e atendemos a todas as reivindicações que nos foram feitas. O que não foi atendido de pronto, começou a ser negociado. Começar uma greve no meio de uma negociação não é correto, é ilegal, tem interesses políticos e só prejudica os alunos”, declarou o prefeito Dutra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário