quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

Prefeitura de São Luís intensifica vigilância para manter a cidade livre do mosquito Aedes aegypti


Agentes nas ruas e ações preventivas executadas pela Prefeitura de São Luís para o combate ao mosquito Aedes aegypti. O trabalho tem como objetivo a  diminuição dos casos de doenças como dengue, zika e chikungunya e manter a população mais informada sobre os cuidados que deve ter para evitar criadouros. A gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior tem conseguido reduzir, nos últimos anos, a incidência de casos destas enfermidades e este ano mantém as atividades intensificadas. Neste período chuvoso, as equipes de agentes de endemias da Secretaria Municipal de Saúde (Semus) reforçaram os trabalhos para manter a população da capital livre das doenças.

No conjunto de atividades que os agentes desenvolvem estão visita domiciliar; visita para inspeção e tratamento de pontos estratégicos (borracharias, cemitérios, ferros velhos), trabalho complementar de ações de educação em saúde e nebulização espacial com o carro fumacê; além de recolhimento de pneus e os chamados resíduos sólidos. Outra ação desenvolvida pela Prefeitura no trabalho de combate à proliferação do Aedes aegypti são os mutirões nas áreas da cidade com maior incidência do problema.

De 2017 para 2018, houve a redução de 42,2% nos casos de dengue, 61,6% de chikungunya e 56,3% de zika, totalizando uma redução de quase 50% nos casos notificados de arboviroses de um ano para o outro. O secretário municipal de Saúde, Lula Fylho, pontuou que a redução das ocorrências reforça o trabalho certo da gestão do prefeito Edivaldo no combate à proliferação do mosquito.

"Esse resultado é fruto de uma série de medidas de enfrentamento com foco na raiz do problema e o trabalho eficaz dos serviços de limpeza pública desenvolvidos pela gestão. As comunidades têm sua parcela de apoio quando descartam o lixo corretamente e evitam criar meios que possam ser base para criatório do mosquito. A gestão faz sua parte em ações preventivas, campanhas educativas e atuação firme para que São Luís fique livre destas doenças", pontuou. 

As atividades das equipes de endemias no combate às arboviroses são regulares, permanentes e seguem as normas e diretrizes do Ministério da Saúde. O programa alcança todas as áreas distritais da capital – Centro, Itaqui-Bacanga, Coroadinho, Cohab, Bequimão, Vila Esperança e Tiriirical 1 e 2. Cada área de ação é coberta por equipes compostas de supervisor geral, supervisores de área e agentes de endemias.

O coordenador Programa Municipal de Combate às Arboviroses da Semus, Pedro Tavares, explica que "a dinâmica dos casos, em se tratando de risco, depende do fluxo migratório e do índice de infestação do mosquito na área".

Nenhum comentário:

Postar um comentário