quinta-feira, 16 de agosto de 2018

Prefeitura mobiliza rede de saúde para o Dia D Nacional de Vacinação contra sarampo e poliomielite


Na luta para que doenças já erradicadas não voltem a ameaçar a população de São Luís, a Prefeitura da capital tem intensificado os esforços para imunizar o público-alvo contra o sarampo e a poliomielite. Assim, a gestão do prefeito Edivaldo antecipou as ações e realizou, no sábado (4), o Dia D Municipal contra as doenças. Neste sábado (18), promove mais uma etapa da campanha com o Dia D Nacional, acompanhando mobilização em todo o país. A vacinação ocorre das 8h às 17h, em 63 postos de saúde da cidade. A campanha, que segue até o dia 31 de agosto, objetiva imunizar crianças de um ano a menores de cinco anos.

A meta de vacinação estabelecida para a capital pelo Ministério da Saúde é vacinar 95% do público-alvo total, que é de 61.700 crianças. Até o momento, as doses aplicadas contra pólio somam 24.517, representando pouco mais de 40% do público-alvo; e o sarampo totalizam 24.338 doses, que representam perto de 40% do total estipulado.

Na capital, a campanha foi antecipada e a vacinação iniciou dia 23 de julho. A iniciativa de antecipar a mobilização, assim como a promoção de um dia municipal de campanha, segue a orientação do prefeito Edivaldo, enfatiza o secretário municipal de Saúde (Semus), Lula Fylho. "Estamos realizando várias ações para aumentar a adesão à campanha, mas depende também dos pais ou responsáveis lembrar que a imunização é muito importante para evitar o sarampo e a pólio. Para atingir a cobertura definida pelo Ministério da Saúde precisamos que as crianças sejam vacinadas", reforça.
   
No caso do sarampo, a vacina está disponível também para pessoas até 49 anos de idade. Há mais de duas décadas, São Luís não tem casos destas doenças, porém, estados vizinhos ao Maranhão apresentaram registros. A campanha vem para reforçar o controle e manter a capital livre destas doenças, alerta a superintendente de Vigilância Sanitária e Epidemiológica da Semus, Terezinha Lobo.

As vacinas são contraindicadas em casos de gripe muito forte e febre alta; crianças com imunodeficiência congênita ou adquirida; neoplasia maligna; e que estão em tratamento com uso de corticoides em doses elevadas ou quimioterapia e radioterapia.

CONTROLE E PREVENÇÃO

O sarampo é uma doença altamente contagiosa e pode ser transmitida pelo contato com secreções. Os primeiros sintomas são parecidos com os da gripe, mas evoluem ainda para o aparecimento de manchas vermelhas pelo corpo.

A poliomielite, ou paralisia infantil, causa paralisia repentina que pode afetar das pernas até o corpo inteiro, comprometendo a respiração. A contaminação é por contato fecal-oral, objetos, alimentos e água com fezes de portadores ou ao falar, tossir ou espirrar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário