quarta-feira, 13 de junho de 2018

Prefeitura debate ações para redução de resíduos durante I Fórum Municipal Lixo Zero de São Luís


A Prefeitura de São Luís, por meio do Comitê Gestor de Limpeza Urbana, realizou o I Fórum Municipal Lixo Zero São Luís. O evento, que ocorreu no Convento das Mercês nesta quarta-feira (13), teve como objetivo formar uma rede de práticas sustentáveis realizadas na cidade para reduzir a geração de resíduos sólidos na capital maranhense. Implantados na gestão do prefeito Edivaldo, os Ecopontos foram um dos destaques do fórum.

O fórum foi realizado em parceria com o Instituto Maranhão Sustentável e o Instituto Lixo Zero Brasil. Durante todo o dia foram apresentadas ações adotadas pelo poder público, empresas e sociedade civil que tenham como objetivo a reciclagem do lixo, fazendo com que os resíduos voltem para o ciclo produtivo, gerando menos impactos ao meio ambiente.

A presidente do Comitê Gestor de Limpeza Urbana, Carolina Moraes Estrela, representou o prefeito Edivaldo na abertura do evento. Destacando a implantação dos Ecopontos, ela informou que em três anos São Luís teve marcos que mudaram a forma como o resíduo urbano é gerido e tratado. "Nesse período, seguindo orientação do prefeito Edivaldo, desativamos o Aterro da Ribeira, passamos a encaminhar todo o lixo recolhido na cidade para um aterro moderno e que atende a todas as normas ambientais e sanitárias, além de implantarmos uma política efetiva de coleta seletiva na cidade por meio dos Ecopontos", informou.

Atualmente, São Luís tem 10 Ecopontos em funcionamento que já receberam mais de 14 mil toneladas de resíduos. Recentemente a Prefeitura iniciou as obras de mais um Ecoponto. O presidente do Instituto Lixo Zero Brasil, Rodrigo Sabatini, visitou um dos equipamentos da cidade e falou da importância dessa iniciativa. "Os Ecopontos são fundamentais para que a população comece a mudar sua forma de lidar com o lixo que gera. Aqui em São Luís o projeto implantado cumpre todos os objetivos de sustentabilidade e reciclagem. São com certeza um modelo que pode ser seguido por outras cidades", afirmou.

Em sua palestra, Rodrigo Sabatini também destacou que um dos pilares da redução na geração de resíduo é a mudança nos hábitos de consumo. "Algo só passa a ser lixo a partir do momento em que o descartamos. Porque na verdade, esse resíduo é matéria-prima que pode ser reciclada, reaproveitada, recolocada no ciclo de produção, gerando menos impactos ambientais e econômicos", disse.

PALESTRANTES

Também estiveram presentes dois palestrantes internacionais. Mal Williams, fundador da Zero Waste International Alliance, responsável pela promoção do Conceito Lixo Zero em todo o mundo, e Stefano Ambrosini, especialista em gerenciamento de resíduos, responsável pela implantação de um modelo de coleta seletiva moderno na Itália.

A presidente do Comitê Gestor de Limpeza Urbana fez uma avaliação positiva do dia de trabalho. "O evento tinha o objetivo de agregar pessoas, projetos e organizações com trabalhos realizados na área de gestão e manejo de resíduos sólidos, trabalhando no Conceito Lixo Zero. Conseguimos isso. Agora é fortalecer e ampliar essas ações na cidade".

LIXO ZERO

O objetivo do Instituto Lixo Zero Brasil é difundir o conceito pelo Brasil e o fórum é uma ferramenta para mostrar à sociedade grandes exemplos de que essa mudança é possível. Pessoas, empresas, instituições que mudaram seu comportamento em relação aos resíduos, assumiram uma responsabilidade frente a este problema ao qual o mundo todo passa.

Lixo Zero é uma meta ética, econômica, eficiente e visionária para guiar as pessoas a mudar seus modos de vidas e práticas de forma a incentivar os ciclos naturais sustentáveis, onde todos os materiais residuais são projetados permitindo seu uso no pós-consumo. "Lixo Zero significa projeto de produto e gerenciamento de processos para evitar e eliminar sistematicamente o volume e a toxicidade dos resíduos e materiais, conservar e recuperar todos os recursos e não aterrar ou incinerá-los. Ao implementar o Lixo Zero, todos os descartes para a terra, água e ar são evitados, o que são uma ameaça à saúde do planeta e dos seres vivos", informa Carolina Moraes Estrela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário