sábado, 19 de maio de 2018

18 DE MAIO EM PAÇO DO LUMIAR É MARCADO POR ATO PÚBLICO NO VIVA MAIOBÃO


Na manhã deste dia 18 de maio a cidade de Paço do Lumiar acordou quebrando o silêncio contra o abuso, a violência e a exploração sexual de crianças e adolescentes. Alunos das UEB's Gonçalves Dias, Alana Ludmila, Paranã e o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos da Vila Cafeteira realizaram um ato público contra a violação dos direitos humanos de crianças e adolescentes. A ação, organizada pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social em parceria com a Secretaria de Educação, aconteceu na praça do Viva Maiobão, onde os jovens estudantes puderam expor trabalhos realizados em sala de aula de maneira criativa, por meio de músicas, poesias e apresentações teatrais.

Para o prefeito Domingos Dutra (PCdoB), que acompanhou as apresentações, a data, apesar de lembrar um fato trágico de 1973, quando a garota Aracelli de apenas 8 anos foi violentada e assassinada no Espírito Santo, não pode passar despercebida. “É uma história trágica de 45 anos, mas que infelizmente ainda acontece no Brasil e no mundo, talvez até mais do que antes. Aqui mesmo em Paço do Lumiar vimos um caso igual ao "Caso Aracelli", que foi a história da pequena Alana Ludmila, de 10 anos, que também foi violentada e assassinada há seis meses, no Maiobão, por seu padrasto. Manifestações de conscientização como esta do 18 de maio são importantes para chamar a atenção da sociedade. Precisamos denunciar mais e cuidar mais de nossas crianças", alertou o prefeito.

Entre as crianças que participaram das apresentações, a jovem Ana Cristina, da UEB Paranã, chamou atenção para o tema com uma poesia, ressaltando os seguintes trechos: “18 de maio é dia de relembrar que nós todos temos o compromisso e precisamos lutar. Eu preciso de proteção, mais respeito, mais valor. O meu mundo é de fantasia e cheio de imaginação. Não mereço ser vítima de abuso e exploração”.

A secretária de Desenvolvimento Social, Nelzenir de Paula, destacou alguns avanços alcançados, mas ressaltou que ainda há muito a ser feito. “O Dia Nacional de Luta contra a Violência Sexual a Crianças e Adolescentes deve unir esforços de todos para que a sociedade desperte para o tema e participe das ações de enfrentamento", afirmou a secretária.

Além das atividades realizadas pelos alunos, servidores públicos entregaram panfletos com informações sobre quais os órgãos competentes a serem procurados em caso de denúncias. “Além da prevenção, o combate a essa realidade exige que os casos sejam denunciados. Portanto, se souber de algum caso de violência sexual infantil, procure o conselho tutelar, delegacias especializadas, polícias militar, federal ou rodoviária e ligue para o Disque Denúncia Nacional, o Disque 100. É gratuito e seu nome é mantido sob sigilo”, informou a secretária Nelzenir de Paula.

Sobre o 18 de Maio

A data foi instituída pela Lei Federal 9.970/00 e lembra um violento crime sexual que aconteceu em 1973, na cidade de Vitória, no Espírito Santo, contra uma menina de 8 anos. Aracelli Cabrera Crespo foi raptada, drogada, estuprada, morta e carbonizada. Os responsáveis pelo chamado "Caso Aracelli" nunca foram responsabilizados. O fato instituiu o Dia Nacional de Combate ao Abuso Sexual Contra Crianças e Adolescentes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário