segunda-feira, 30 de abril de 2018

Polícia prende homem acusado de torturar e matar sua própria esposa no Piauí


Na manhã desta segunda-feira (30/04), a Força Tarefa da Secretaria de Segurança Pública do Piauí realizou a prisão de um homem identificado  como Ezequiel Fernandes de Sousa, acusado de torturar e matar a própria esposa no último sábado no bairro Alto da Ressureição, na zona Sudeste de Teresina. O suspeito foi preso no bairro Lourival Parente, no momento em que planejava fugir.

A vítima chegou a ser levada para o hospital com muitos ferimentos, mas não resistiu. “A prisão preventiva dele saiu ontem e desde o dia do fato a Central de Gêneros e a Delegacia de Homicídios com o apoio da Secretaria de Segurança iniciou diligências para saber sua localização. Uma equipe da Delegacia de Feminicídio e uma equipe da Secretaria de Segurança desde 06h da manhã está em diligência e conseguimos alguns informantes. Nesse momento ele estava saindo da casa de um parente e já ia fugir para casa de outro e foi interceptado no meio do caminho”, afirmou a delegada Luana Alves, do núcleo de feminicídio.

De acordo com informações  do prontuário médico e dos profissionais de saúde  a vítima morreu devido a um traumatismo craniano. “Por conta desse laudo a gente entende que foram agressões físicas com murros, chutes. Todas as pessoas da família confirmaram que era um casal extremamente complicado, que tinha um abuso muito grande de álcool e que as agressões eram mútuas, mas a agressão que ele perpetuou contra ela foi extremamente violenta”, disse.

Ainda segundo a delegada, o criminoso ainda chegou a acompanhar a esposa no hospital e logo depois do óbito fugiu com destino ignorado. “Ele levou a vitima diversas vezes em dois, três hospitais tanto é que no prontuário médico ele assina como responsável dela e depois da morte a gente saiu em diligências porque ele não foi mais encontrado. Ele confessou a agressão , mas disse que foi para se defender, só que temos outros elementos que confirmam realmente que a agressão foi bem violenta”, afirmou.

O capitão Audivan Nunes afirmou que o suspeito não reagiu a ação policial no momento da prisão. “Ele já vinha do Dirceu, Renascença e outros locais que ele passou a noite se escondendo. Tivemos informação segura que eles estaria na avenida do Lourival Parente indo para outra região da zona sul aguardando uma pessoa que ia dar apoio para ele e nós já tínhamos a foto dele, visualizamos e realizamos a prisão. Ele torturou primeiro a companheira, para depois matá-la, o corpo tinha muitos sinais de tortura”, declarou.

Fonte: Portal Meio Norte

Nenhum comentário:

Postar um comentário