sábado, 24 de março de 2018

Aulas em escolas de tempo integral começarão no dia 12 de abril em Paço do lumiar


A volta às aulas nas três escolas de tempo integral do município de Paço do Lumiar deverá ocorrer no dia 12 de abril. O início será um mês após o começo do ano letivo no município e foi decorrente da falta de professores. Os seletivos para professores que deveriam ter sido realizado em novembro, ocorreram somente este ano por causa de ações ajuizadas no Ministério Público que atrasaram o calendário previamente planejado. A lista de convocados do último seletivo para professores, realizado este mês, deverá sair no dia 2 de abril. As informações foram dadas em entrevista pelo secretário municipal de Educação, Fábio Rondon.

As três escolas de tempo integral de Paço do Lumiar são: UEB Alana Ludmila (antiga Marly Sarney), no Maiobão; Creche Sebastiana Sobreiro (Maiobão) e UEB Geralda Melo (Cotovelo).

“Apenas um profissional se inscreveu no seletivo para professor em tempo integral realizado em fevereiro. Por isto, tivemos dificuldade de garantir os profissionais para trabalhar nas três escolas. Mas já superamos esta etapa com o último seletivo e teremos condições de iniciar o ano letivo no dia 12 de abril. Estamos conversando com a comunidade escolar, com os pais de alunos e já há uma programação pedagógica para que não haja prejuízo do conteúdo e possamos cumprir os 200 dias do ano letivo, recuperando o tempo perdido”, explicou o secretário de Educação.

Em três outras escolas, todas em Iguaíba, houve dificuldades para a conclusão das obras, principalmente por causa de problemas no telhado e nas instalações elétricas, hidráulicas e sanitárias. Foram elas: UEB Iguaíba (antiga Alfredo Silva), que será entregue no dia 2 de abril, totalmente reformada e climatizada; UEB Edith Ribeiro, que teve problemas na fossa e no abastecimento d’água, e também será entregue dia 2 de abril, e UEB Maria Ferreira, que será entregue na segunda-feira, 26.

“A Prefeitura reformou e requalificou 38 escolas neste início de ano, num total de R$ 3 milhões. As obras nestas três unidades em Iguaíba tiveram de se estender por um período maior por problemas estruturais”, observou o secretário de Educação, acrescentando que as escolas estavam extremamente deterioradas por causa da falta de investimentos ao longo dos anos. “Além dessas 38 escolas, estamos também realizando melhorias em mais dez. Os serviços estão sendo feitos nos fins de semana para não atrapalhar as atividades escolares”, acrescentou.

SELETIVO

O secretário Fábio Rondon informou que o seletivo para professores realizado no início do mês sofreu atraso por conta de contestação na Justiça feita por um grupo de 20 profissionais, dos 3.287 inscritos. Pelo novo calendário, definido em consenso no Ministério Público, a convocação deverá ocorrer no dia 2 de abril e no dia 6 os professores já deverão assumir suas funções. Vão ser chamados 329 professores nesse seletivo.

“Por orientação do Ministério Público, voltou-se à etapa de deferimento e indeferimento das inscrições. Vamos publicar tanto na relação prévia de deferidos, quanto na lista final, além do nome, a pontuação e a data de nascimento dos profissionais para dirimir quaisquer dúvidas quanto à lisura do seletivo. Já foi publicada a lista dos indeferidos e está aberto novamente o prazo para os recursos”, detalhou o secretário.

CUSTOS

A diferença entre fazer um concurso público ou um seletivo é principalmente no custo desse profissional para os cofres do Município. Na exposição de motivos feita à Justiça, mostrando a impossibilidade de o Município fazer concurso para professores, esse aspecto foi citado. A diferença chegava a R$ 5 milhões. “Paço do Lumiar estava sem recursos. Havia perdido mais de R$ 3 milhões de verbas federais para a Educação e não tinha condições de admitir para o quadro permanente de servidores esses professores. O Município não teria dinheiro para pagá-los. Mas como o contrato de muitos professores que estavam em sala de aula havia terminado em dezembro de 2017 e não haveria profissionais para garantir a volta às aulas este ano, foi feito um Termo de Ajustamento de Conduta, permitindo o seletivo”, explica Fábio Rondon.

O secretário de Educação informou ainda que a Prefeitura instituiu o regime de 30 horas para os professores como forma de tornar a carga horária mais atrativa para os profissionais. “Havia um desconforto muito grande entre os profissionais, que precisam trabalhar em várias redes de ensino. Por conta disso tínhamos disciplinas para as quais não havia professor. Com as 30 horas, resolvemos esse problema”, destaca Fábio Rondon.

Nenhum comentário:

Postar um comentário