sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Para reforçar ações de saúde, Prefeitura já recolheu este ano nove toneladas de pneus inservíveis

A Prefeitura de São Luís realizou o recolhimento de aproximadamente nove toneladas de pneus inservíveis, somente este ano, na capital. A coleta do material é uma ação realizada pelas secretarias municipais de Saúde (Semus) e de Obras e Serviços Públicos (Semosp), como medida preventiva contra a proliferação do mosquito Aedes aegypti e a redução do índice de doenças transmitidas pelo inseto, como dengue, febre chikungunya e zika vírus.

A ação é resultado das visitas feitas este ano a cerca de 270 mil residências e estabelecimentos, durante o trabalho de combate ao mosquito na capital. No ano passado foram realizadas mais de um milhão de visitas a imóveis, nos seis ciclos de trabalho de combate ao inseto.

"A iniciativa demarca o compromisso do prefeito Edivaldo com a saúde da população e a preservação do meio ambiente. A nossa vigilância na área é permanente e planejada para ser realizada o ano inteiro, com ações preventivas, visando ao combate do inseto e à diminuição da incidência de casos das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti na capital", observou o titular da Semus, Lula Fylho.

Os pneus coletados são levados para o Ecoponto de descarte de pneus instalado na Semosp. A Prefeitura de São Luís foi a primeira das regiões Norte e Nordeste do país a criar um Ecoponto para este fim. Do Ecoponto, os pneus são recolhidos pela Reciclanip, entidade ligada à Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos (ANIP), que dá o destino ao material sem causar danos ao meio ambiente. Nesta sexta-feira (16) os pneus recolhidos começaram a ser transportados pela Reciclanip.

Após recolhidos, a matéria-prima que compõe o produto é separada, o aço é retirado e a borracha triturada para servir de combustível em fornos de fábricas de cal e cimento. A parceria entre a Prefeitura e a empresa prevê que os pneus coletados sejam transportados para usinas em João Pessoa (PB), Feira de Santana (BA) e Sobral (CE), onde terão a destinação adequada e sustentável do produto.

O trabalho de recolhimento do produto é diário e todo o montante é destinado à reciclagem, segundo enfatizou o secretário da Semosp, Antonio Araújo. "A iniciativa tem gerado benefícios significativos para a cidade e a população, pois promove a redução desse material na via pública, contribuindo também como um importante reforço na limpeza da cidade e na melhoria de vida da população e do meio ambiente", afirmou o secretário.

COLETA

A coleta de pneus inservíveis é feita pela Semus em vistorias realizadas pela Vigilância Sanitária e Epidemiológica às borracharias, oficinas mecânicas e ferros-velhos da cidade. O material também é retirado das ruas, terrenos baldios e de outros pequenos geradores de resíduos. Depois, é ecologicamente reutilizado, sem oferecer danos ao meio ambiente e evitando o armazenamento inadequado, que provoca o acúmulo de água e a proliferação do mosquito Aedes aegypti.

Os pneus têm tempo mínimo de 600 anos para decomposição. Por este tempo, o descarte inadequado gera vários impactos para a saúde humana e meio ambiente como a proliferação de mosquitos, acúmulo de lixo entupindo bueiros e prejudicando o escoamento de águas pluviais.

Para o recolhimento dos pneus, a Prefeitura também mantém pontos de coletas em Ecopontos da capital, localizados no Angelim, Parque Amazonas, Bequimão, Habitacional Turu, Jardim América, Jardim Renascença, Residencial Esperança e Cidade Operária, das 7h às 19h. A entrega pode ser feita ainda na sede da Semosp, no São Cristóvão, que tem capacidade para armazenar até 15 mil pneus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário