terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Polícia Civil prende acusado de estupro na capital

A Polícia Civil por meio da Delegacia Especial da Mulher (DEM) com apoio da Superintendência de Homicídio e Proteção à Pessoa (SHPP), Superintendência Estadual de Repreensão ao Narcotráfico (Senarc), prenderam na última quinta-feira (21), no bairro do Angelim-São Luís, Gabriel Batista Ferreira (19), preso em flagrante pelos crimes de estupro e roubo.

O acusado foi preso horas depois de cometer o crime, por meio de uma força tarefa que reuniu policias civis e militares de vários departamentos e batalhões. A autuação foi feita pela equipe da DEM, mas contou também com a colaboração de policiais da SHPP e Senarc, além do envolvimento de toda a equipe de perícia do Instituto de Criminalística (Icrim).

“A conclusão das investigações e identificação da autoria foi resultado de um trabalho articulado entre perícia e investigação em que, não apenas a Delegacia da Mulher juntamente com a perícia, mas também outras unidades policiais especializadas auxiliaram no trabalho de busca de vestígios, de busca de informações, até que se conseguisse localizar, no prazo bem razoável, a identificação do autor”, destaca a coordenadora das Delegacias da Mulher, Delegada Kazumi Tanaka.

A coleta de dados genéticos e impressões papilares no local do crime ajudaram na rápida confirmação da autoria do crime e na posterior prisão de Gabriel. “Precisamos deixar claro que o fator determinante para identificar o acusado como autor do estupro foi a preservação do local do crime até que as equipes de perícia chegassem ao local. A partir daí conseguimos colher os materiais biológicos e impressões digitais e diversos vestígios que nos deram a certeza absoluta de que ele é o autor dos fatos”, destacou o diretor do Instituto de Criminalística (ICRIM), Robson Mourão.

“Temos conhecimento de outras vítimas e pedimos que quem reconhecer o acusado como seu agressor, procure a CMB para fazer o reconhecimento e o B.O. Nós garantimos todo atendimento humanizado e um ambiente seguro para as vítimas de violência”, conclui a delegada da Mulher, Wanda Moura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário