sábado, 25 de março de 2017

Prefeito Edivaldo participa de grande ação para entrega de cartões do Bolsa Escola em São Luís

O prefeito Edivaldo participou, na manhã deste sábado (25), de grande mutirão para entrega de cartões aos beneficiários do Programa Bolsa Escola, em São Luís. A ação, realizada pelo Governo do Estado, em parceria com a Prefeitura de São Luís, contou com a presença do governador Flávio Dino e reuniu milhares de famílias contempladas pelo projeto, na capital. O mutirão aconteceu no Centro de Convenções da Universidade Federal do Maranhão (Ufma).

"O Programa Bolsa Escola é uma iniciativa vitoriosa do Governo do Estado, que chega ao seu segundo ano com êxito total em sua execução. O mutirão que realizamos hoje é uma ação pontual especifica para São Luís, num grande esforço para que as famílias da capital que ainda não receberam o cartão do programa venham buscá-lo e usufruam plenamente desse serviço, que representa um grande incentivo para que as famílias cuidem ainda mais da educação de seus filhos", disse o governador Flávio Dino, acrescentando ainda que o Bolsa Escola é uma referência no país, por ser o único programa dessa natureza existe no Brasil.

A meta do mutirão é entregar cerca de 22 mil cartões aos beneficiários retardatários da capital maranhense, que não receberam o instrumento no ano passado por motivos diversos, que impossibilitaram o trabalho dos Correios nesse processo. Entretanto, todos os alunos que ainda não receberam o cartão continuam beneficiados pelo Programa, este ano, e puderam ter acesso ao serviço na grande ação articulada para essa finalidade.

O prefeito Edivaldo, acompanhado da primeira-dama Camila Holanda, destacou o Programa Bolsa Escola como uma iniciativa de grande alcance social. "Essa ação realizada aqui para a entrega dos cartões aos beneficiários que ainda não haviam recebido é um grande ato de respeito e cuidado com nossas crianças e adolescentes, para fazer chegar até eles esse auxílio tão importante. O Bolsa Escola é um dos mais importantes programas desenvolvidos pelo Governo do Estado, porque congrega uma série de benefícios tanto nas áreas educacional e social como econômica também, em todo o Estado", afirmou Edivaldo.

BENEFICIÁRIOS

O Programa Bolsa Escola consiste na transferência direta de recursos para aquisição de materiais escolares às famílias que já são beneficiárias do programa federal 'Bolsa Família' e que tenham em sua composição crianças e adolescentes com idade entre 4 e 17 anos, regularmente matriculados em escolas públicas. Cerca de 1 milhão de estudantes da rede pública de ensino são beneficiados pelo Bolsa Escola, em todo o Estado.

Em São Luís o programa beneficia 85.676 crianças e adolescentes. A iniciativa de realizar o mutirão tem ainda como objetivo garantir que os cartões do 'Bolsa Escola' cheguem, de fato, às mãos das famílias contempladas, ainda no início deste ano letivo, beneficiando-os com a compra dos materiais escolares contemplados pelo programa. A expectativa é que, com entrega dessa remessa de cartões em São Luís, entre em circulação cerca de R$ 4,3 milhões, no comércio de papelaria local.

Para realizar o mutirão, a Secretária do Desenvolvimento Social (Sedes), órgão responsável pela execução do programa no Estado, montou uma grandiosa de estrutura de equipamentos e de pessoal para fazer a entrega dos cartões Bolsa Escola na capital. Paralelamente à ação, foram disponibilizados também no local diversos estandes de estabelecimentos comerciais habilitados à venda dos materiais escolares contemplados pelo Programa, para que pudessem fazer a venda dos produtos, no próprio espaço, às famílias que recebiam o cartão. A medida visa facilitar aos beneficiários o acesso aos materiais escolares, ainda no local da entrega dos cartões

Este ano, o Governo do Maranhão credenciou 1.414 estabelecimentos comerciais, para realizarem a venda dos materiais escolares contemplados pelo programa, em todo o Maranhão. São Luís conta com cerca de 100 lojas credenciadas à venda desses produtos.

Ao todo, o Bolsa Escola está injetando mais de R$ 50 milhões no setor de papelaria, o que, para o governador Flávio Dino, representa um grande estímulo aos comércios do setor. "No atual quadro de recessão que o país vive, fazer com que os comerciante de São Luís e dos demais municípios maranhenses tenham um aumento em suas vendas, com certeza, é um benefício alentador e todos ganham com isso", frisou o governador.

Em ato simbólico, foram entregues cartões do Bolsa Escola a alguns pais presentes ao mutirão. Um deles foi o autônomo Messias Rodrigues, que tem cinco filhos, sendo que quatro deles são beneficiários do programa Bolsa Escola, em São Luís. "É um recurso que vem em boa hora e que muito contribui para a melhoria dos estudos de nossos filhos. Para as família de baixa renda como a nossa, esse programa traz um alívio ao bolso na compra de muitos materiais escolares", disse.

A dona de casa Liliene Ferreira também participou do ato simbólico de entrega do cartão de seu filho, Benjamim Ferreira, 9 anos. "Fazer esse mutirão foi uma grande ideia, porque eu não havia recebido o cartão do meu filho em casa, pelos Correios, e o serviço aqui facilitou para muitas famílias", disse.

Uma das expositoras de materiais escolares postos à venda no local, a comerciante Elisamar Moraes, 47 anos, proprietária de uma papelaria no bairro São Francisco, enalteceu a iniciativa do mutirão. "Considero uma excelente ideia conciliar a entrega dos cartões com a venda de nossos materiais escolares no próprio local, pois em um mesmo espaço estão tanto os beneficiários como os comerciantes aptos a venderem seus produtos, facilitando também que as pessoas comparem preços e adquiram o que for melhor para seus filhos", relatou a comerciante.

"Além de proporcionar mais dignidade aos alunos da rede pública de ensino, que passam a obter produtos escolares que não teriam condições de adquirir, a ação contribui ainda para a redução da evasão escolar e a melhoraria das condições de aprendizagem dos alunos beneficiários do programa", observou o secretário de estado do Desenvolvimento Social, Neto Evangelista.

O valor do repasse é de R$ 51,00 por filho matriculado regularmente em escola pública. Os beneficiários têm até 90 dias para realizar a compra dos produtos nos estabelecimentos habilitados pelo Governo do Estado, nos municípios. Podem ser adquiridos todos os produtos com finalidade escolar.

A transferência do recurso é feita pelo Governo do Estado, em parcela única anual, paga no início de cada ano. A compra dos materiais é realizada pelos beneficiários por meio de cartão magnético fornecido ao responsável familiar de cada criança e adolescente. Entre os materiais que podem ser adquiridos estão mochila, lápis, caneta, borracha, régua, cadernos e similares, livros paradidáticos indicados pela escola, uniforme, tênis, meias, calças, bermudas, camisas e camisetas, entre outros produtos compreendidos pelo conceito de material escolar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário