sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Políticas públicas da Prefeitura consolidam São Luís como uma das melhores cidades para se viver

Políticas públicas integradas nas áreas de saúde, infraestrutura e garantia de direitos de crianças e adolescentes estão na raiz dos resultados alcançados por São Luís – apontada esta semana pela Revista Veja como a terceira melhor capital do Nordeste para se morar. O levantamento foi baseado no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). O ranking feito pela publicação lista as cidades que mais têm qualidade de vida no Brasil. A boa notícia veio confirmar o acerto nas políticas públicas desenvolvidas ao longo da gestão do prefeito Edivaldo.

A reportagem da Veja listou as melhores cidades para se viver em cada região brasileira. Se considerado o IDH, São Luís (0,768) é a terceira cidade entre as capitais do Nordeste que oferece melhores condições de vida – e a quarta em toda a região. O indicador registrado pela capital maranhense supera, entre outras capitais nordestinas, Salvador (0,759) e Fortaleza (0,754).

Políticas públicas integradas nas áreas de saúde, educação, meio ambiente, infraestrutura e urbanização estão entre as ações implementadas na gestão do prefeito Edivaldo com o objetivo de dar mais qualidade de vida à população ludovicense e que colaboraram para o bom posicionamento da capital maranhense no quadro regional.

INFRAESTRUTURA

São Luís, na gestão do prefeito Edivaldo, recebeu o maior programa de urbanização de bairros e mobilidade urbana de sua história. Foram mais de cem bairros e duas mil ruas beneficiadas com serviços de urbanização em quatro anos, garantindo melhores condições de vida e moradia. O Programa Interbairros, executado por meio de parceria entre o Governo do Estado e a Prefeitura, deu mais opções viárias em regiões como Forquilha/Parque Sabiás, altos do Calhau/Barramar, Pai Inácio, no Turu. Pontos recorrentes de enchentes e alagamentos foram sanados a partir da construção de 22km canais e galerias.

Além da qualidade de vida garantida pelos serviços de urbanização e saneamento, as melhorias nos bairros foram sentidas com a construção e reforma de mais de 30 praças, viabilizando alternativas de lazer e convivência social para os moradores, perto de casa. As obras foram executadas pela Secretaria Municipal de Urbanismo e Habitação (Semurh) e pelo Instituto Municipal da Paisagem Urbana (Impur), além da Subprefeitura do Centro Histórico.

O aposentado Antônio Leite, 86 anos, mandou um recado ao prefeito Edivaldo, além de parabenizá-lo pela gestão. "Ótima, excelente notícia e mostra que o prefeito de São Luís, Edivaldo, trabalhou e valorizou a cidade. Que ele continue olhando por nossa capital. Que em 2017 administre com sabedoria. Um feliz ano novo São Luís", desejou.

SAÚDE

A secretária de Saúde, Helena Duailibe, destacou a integração das políticas públicas da atual gestão, com benefícios também para a saúde. "A determinação do prefeito Edivaldo é que a gestão trabalhe de forma integrada. Na medida em que a Prefeitura de São Luís realiza importantes ações de urbanização e saneamento, também contribui para a melhoria da saúde de todos os cidadãos", avaliou Helena.

Na área da saúde, a recuperação de mais de 30 Unidades Básicas de Saúde (UBS) além da reativação do Hospital da Mulher, da inauguração do núcleo especializado em Saúde do Homem, no Centro de Especialidades Médicas (CEM) do Filipinho e da inauguração de uma Unidade de Saúde 24h na zona rural, estão entre os fatores responsáveis por uma melhoria efetiva no setor.

A notícia de que a cidade de São Luís – Patrimônio da Humanidade – foi apontada pela Revista Veja como uma das melhores para morar no Nordeste foi recebida com entusiasmo pela população. O aposentado João da Cruz, 76 anos, que há 65 anos deixou a Baixada Maranhense para morar na capital falou sobre o levantamento. "Adoro São Luís e se foi divulgado por uma revista de renome nacional temos todos que ficar felizes por ter esse reconhecimento. Se São Luís foi citada é porque merece ser destaque no Nordeste".

SOCIAL

Além do IDH, adotado pela Revista Veja no ranking das melhores cidades brasileiras, a capital maranhense figura bem posicionada em outros indicadores de vulto, a exemplo da Plataforma dos Centros Urbanos (PCU) do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). Ao longo dos últimos quatro anos, São Luís avançou em sete dos dez indicadores analisados pela plataforma, com realizações importantes na redução da mortalidade infantil, aumentando o número de mulheres que realizam o pré-natal completo e o número de crianças de 4 e 5 anos com acesso à pré-escola, entre outras realizações.

"Avanços como esses são fruto de projetos que garantem melhorias efetivas. Antes, a Prefeitura de São Luís não executava políticas públicas de reconhecimento na área da garantia dos direitos das crianças e adolescentes", destacou a titular da Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas), Andreia Lauande. A secretária reforçou ainda que as medidas garantiram a Edivaldo o reconhecimento pleno como Prefeito Amigo da Criança – título concedido pela Fundação Abrinq a gestores municipais que garantam melhoria concreta das condições de vida de crianças e adolescentes em suas cidades.

EDUCAÇÃO

Na Educação, as melhorias estão refletidas no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que mede a qualidade do ensino básico no país e retomou a curva de crescimento na capital maranhense. A melhoria veio a partir de ações como a melhoria da qualidade da alimentação escolar, por meio do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), de um conjunto de ações de valorização dos educadores que garantiu a implantação de mais de oito mil direitos e a recuperação da estrutura física das unidades de ensino – atualmente, cerca de 70 escolas estão sendo recuperadas.

SAIBA MAIS

O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é uma ferramenta da ONU para avaliar a qualidade de vida e o desenvolvimento econômico de uma população. O Índice é calculado a partir do Relatório de Desenvolvimento Humano (RDH), elaborado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) com base em três pilares: Saúde, Educação e Renda.
Os índices são medidos com base em uma vida longa e saudável (saúde): expectativa de vida ao nascer; o acesso ao conhecimento (Educação): média de anos de estudo (adultos) e anos esperados de escolaridade (crianças); e um padrão de vida decente (Renda).

Dez melhores cidades do Nordeste para morar, segundo a revista Veja

Fernando de Noronha (0,788)
Recife (0,772)
Aracaju (0,77)
São Luís (0,768)
Parnamirim (0,766)
Natal (0,763)
João Pessoa (0,763)
Salvador (0,759)
Fortaleza (0,754)

Lauro de Freitas (0,754)

Nenhum comentário:

Postar um comentário