quinta-feira, 17 de março de 2016

Funcionários da educação em Paço do Lumiar fazem manifestação por melhores condições de trabalho

Na manhã de terça-feira (15 de março de 2016), os educadores de Paço do Lumiar demonstram em manifestação em frente a Prefeitura e a Câmara Municipal sua insatisfação pelo tratamento que a atual gestão tem com a educação.

A paralisação conduzida pelo SEDUP/PL, sindicato que defende servidores da educação municipal teve por objetivo informar e sensibilizar a sociedade para o caos que vive a educação luminense; professores com salários defasados e jornadas de trabalho extensa; escolas sem início do ano letivo em pleno mês de março por falta de estrutura física adequada que respeite a integridade e dignidade dos alunos; professores sendo sacrificados devido a um quadro funcional deficiente que não atende a demanda atual; escolas funcionando precariamente; carência de transporte escolar impedindo os alunos de frequentarem às aulas; sem merenda escolar decente e nutritiva conforme o Programa Nacional da Alimentação Escolar (PNAE) exige para os alunos; sendo distribuído atualmente: melancia, mamão e banana.

Reivindica-se também o cumprimento das leis municipais: Estatuto do Magistério e o Plano Municipal de Educação; transparência com as verbas do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB); criação de concursos públicos; contra a reorganização e fechamento de escolas e modalidades de ensino, como a Educação de Jovens e Adultos (EJA); contra o parcelamento de salários.

Percebeu-se na fala dos professores o quanto os mesmos priorizam uma educação de qualidade para seus alunos, no entanto, o governo que deveria garantir o direito da educação não cumpre sua função. Ainda, houve relatos que diretores escolares assediaram professores para não participarem da paralisação que luta para a garantia do direito dos trabalhadores da educação, desta forma esses “soldadinhos” do governo provam que a atual gestão não mede esforços para prejudicar a educação.

Observa-se pelo número de professores presentes na manifestação que cresce significativamente a cada movimento do sindicato SEDUP, pois o ideal seria que a maioria participasse sem temor deste movimento nacional que garante o direito a paralisação como manifestação de inconformismo com o desenvolvimento atual da educação. Os professores continuam persistentes e esperançosos, esses profissionais irão as ruas exigir condições de trabalho e respeito à educação. Amanhã o ponto de paralisação será o Ministério Público Federal (MPF) às 9 horas onde os mesmos irão entregar um abaixo assinado e solicitar que este órgão eficiente fiscalize as ações do governo municipal.


Fonte: Manancial Notícias 

Nenhum comentário:

Postar um comentário