terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Incêndio deixa Juizado de Ribamar sem sistemas e sem internet

Um incêndio no interior das dependências do Juizado Especial Cível e Criminal de São José de Ribamar, termo judiciário da Comarca da Ilha de São Luís, deixou a unidade sem condições de funcionamento. De acordo com o juiz Marcelo Libério, titular do juizado, o incidente foi na madrugada desta terça-feira, 12.
   
“Fui informado, logo nas primeiras horas do dia de hoje, que o incêndio teria se iniciado no rack que distribui rede para o prédio, onde os nobreaks funcionam 24h sem parar. O segurança teria notado uma grande quantidade de fumaça e acionou um bombeiro”, disse Libério, por telefone.

E segue: “Ainda não temos uma avaliação mais precisa sobre onde o incêndio teria realmente começado e as proporções em termos de funcionamento da unidade judicial. Existe a possibilidade da Oi fazer uma perícia no sentido de descobrir as causas e como o incêndio começou”. Ele enfatizou que sem internet não há como acessar os sistemas e dar andamento nos trabalhos processuais. “Nem mesmo uma simples consulta poder ser feita set rede lógica”, concluiu.
  
A juíza Márcia Chaves, coordenadora do Conselho de Supervisão dos Juizados Especiais, disse que as providências de urgência já foram tomadas, e acionou a Divisão de Informática da Corregedoria Geral da Justiça no sentido de avaliar os danos e, posteriormente, iniciar o trabalho de reestruturação da rede lógica do juizado. Ela destacou, ainda, que a Divisão de Engenharia do Tribunal de Justiça do Maranhão também já se deslocou para avaliar a situação.
   
Márcia Chaves já repassou a situação para a corregedora-geral da Justiça, desembargadora Anildes Cruz, que se prontificou a agilizar o trabalho de recuperação do juizado. "A corregedoria não vai medir esforços para que o juizado ribamarense volte à normalidade o quanto antes. Se preciso for, atuaremos junto à presidência do TJ para recuperar a unidade. O jurisdicionado de Ribamar não pode sair prejudicado", afirmou Anildes.
Foto: Corregedoria Geral da Justiça do Maranhão

Nenhum comentário:

Postar um comentário