quinta-feira, 7 de maio de 2015

Alderico Campos está fora da presidência do DEM em Paço do Lumiar e pode ser expulso do partido

A Executiva Estadual do Democratas abriu processo de expulsão do vereador Alderico Campos, depois de dois cheques da gestão do parlamentar à frente da presidência da Câmara Municipal de Paço do Lumiar serem encontrados em um cofre do agiota Josival Cavalcanti, o Pacovan.

No ato da abertura do processo para desfiliação, o DEM anunciou, ainda, que Campos também já foi destituído da presidência do partido no município.

“A Comissão de Ética do DEM entendeu que os recentes escândalos envolvendo o filiado ferem as diretrizes do partido, além de ir contra o processo de reformulação do partido no MA”, diz nota oficial do partido emitida hoje (7).

Na terça-feira (5), logo após a revelação de os cheques haviam sido apreendidos no cofre do agiota, o advogado Fred Campos, irmão de Alderico, informou eles já foram pagos e que, por isso, não deveriam estar fora do Banco do Brasil.

Ele acrescentou que, por conta de adulterações em cheques – como nesse caso – dois funcionários do banco foram demitidos por justa causa após representação formulada pelo ex-presidente da Câmara.

Um deles  curiosamente, era Perachi Roberto Morais, ex-prefeito de Marajá do Sena, também preso pela polícia no bojo da Operação Maharaja.

Após as demissões, continuou o advogado, Alderico moveu ação de danos morais contra o banco.


Fonte: Blog do Gilberto Léda

Nenhum comentário:

Postar um comentário